segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Todas as Aparições Bíblicas de Jesus Cristo Após Sua Ressurreição







Antes que o veredicto da crucifixão fosse proferido, o regulador romano já tinha deliberado que Jesus fosse martirizado em publico . As trinta e nove chicotadas do azorrague nos ombros, costas e pernas do prisioneiro, cortariam o tecido subcutâneo, tornariam as costas uma irreconhecível e retorcida composição de tecidos sangrentos e causariam sangramento arterial dos vasos sanguíneos dos músculos. Muitos eram os que não sobreviveram a 39 açoites romanos.
No passado recente, arqueólogos israelitas aprenderam bastante sobre a crucifixão ,através  das escavações no Monte Scopus . Um cravo de mais de dez centímetros era pregado através dos ossos de ambos os calcanhares. Um outro cravo grosso de ferro era pregado na parte frontal dos punhos. A dor muscular devia ser excruciante. O ar inspirado pelos pulmões não era exalado com facilidade. O dióxido de carbono se acumulava nos pulmões e na corrente sanguínea. A morte era causada por asfixia.
Os romanos eram tremendamente eficientes na "arte" da crucifixão. Não havia sobreviventes!



Jesus de Nazaré, um menino, um jovem, um homem que ensinou e ensina o melhor caminho para a felicidade. Ele é fiel, é amigo, é fonte de energia...

Morrer na cruz poderia demorar até 3 dias. Normalmente, o condenado era torturado antes. O Evangelho diz que Jesus levou 6 horas para expirar. Ele foi crucificado às 9 horas e morreu às 15 horas.

Segundo a Bíblia, Jesus exsudou sangue ao ser crucificado. Esse episódio , conhecido de hematidrose, é invulgar , mas pode surgir em situações de extrema fraqueza física aliada a um grave abatimento moral (se pode citar como exemplo, uma ojeriza exorbitante).

O percurso que Jesus percorreu com parte da cruz em suas costas tinha aproximadamente 600 metros.

De braços abertos, o condenado era pregado e amarrado na madeira pelos pulsos e pelos pés isso levava a morrer por gangrena e estrangulamento.
O sangue segundo a Medicina passava de arterial (vermelho) para azul (escarlate), isso depois de pelo menos de cinco a dez horas de exaustão 
Já as pessoas que eram apenas amarrados e que se livraram dos 3 pregos de 33 polegadas aproximadamente, dois dos pulsos na trave e um prego que perfurava os ossos nas duas pernas pela base depois de amarrados, chegavam a óbito por sangria ou asfixia e consequente parada cardíaca o sangue arterial de venoso resultava azul  – escarlate .


Verdadeiramente depois de passar por tal ritual macabro somente o escolhido ungido filho do Deus vivo poderia afrontar a morte e ressuscitar ao terceiro dia para podermos nós fruir do acesso a vida eterna juntamente com ele .

Transpassou -lhe o seio tenebroso dos espinho caem gotas de sangue precioso do suor nas violetas do caminho

Derramaste do alto do madeiro, Jesus, filho de Deus, Deus Verdadeiro
e aos crimes do homem não lançaste a conta insonte cordeiro
Quando foste encravado no alto do madeiro para
purificar com seu sangue desde o último até o primeiro

De uma esponja, em caniço pontiagudo , toda em neurastenia se ensopou

Aquele corpo tenro e delicado, cheio de açoutes rigorosos flagelados venceu a morte e nos confere a vida eterna

Jesus ressuscitou: Três dias após sua morte, Jesus ressuscitou. “E eis que sobreveio um grande terremoto, pois um anjo do Senhor desceu dos céus e, chegando ao sepulcro, rolou a pedra da entrada e assentou-se sobre ela. O anjo disse às mulheres: ‘Não tenham medo! Sei que vocês estão procurando Jesus, que foi crucificado. Ele não está aqui; ressuscitou como tinha dito’” (Mt 28.2,5,6). “Vocês estão procurando Jesus, o Nazareno, que foi crucificado. Ele ressuscitou! Não está aqui. Vejam o lugar onde o haviam posto” (Mc 16.6). “Por que vocês estão procurando entre os mortos aquele que vive? Ele não está aqui! Ressuscitou!” (Lc 24. 5-6). “Cristo morreu pelos nossos pecados, segundo as Escrituras, foi sepultado e ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras” (1Co 15.3-4).


A ressurreição de Cristo é uma evidência objetiva de que o cristianismo é verdadeiro. “Se Cristo não ressuscitou, é inútil a nossa pregação, como também é inútil a fé que vocês têm” (1Co 15.14). Mas Jesus ressuscitou, apareceu diante de seus discípulos “e deu-lhes muitas provas indiscutíveis de que estava vivo” (At 1.3). A ressurreição significa que Jesus Cristo é exatamente aquilo que ele afirmou ser: o Filho de Deus. Jesus Cristo é Deus em carne.

Jesus afirmou que morreria e ressuscitaria três dias depois. E fez isso várias vezes: “É necessário que o Filho do homem sofra muitas coisas e seja rejeitado pelos líderes religiosos, pelos chefes dos sacerdotes e pelos mestres da lei, seja morto e ressuscite no terceiro dia” (Lc 9.22); “Jesus lhes respondeu: ‘Destruam este templo, e eu o levantarei em três dias’. Os judeus responderam: ‘Este templo levou quarenta anos para ser edificado e o senhor vai levantá-lo em três dias?’. Mas o templo do qual ele falava era o seu corpo” (Jo 2.19-21). E, de fato, Jesus ressuscitou.




Por isso lhe darei a parte de muitos, e com os poderosos repartirá ele o despojo; porquanto derramou a sua alma na morte, e foi contado com os transgressores; mas ele levou sobre si o pecado de muitos, e intercedeu pelos transgressores.





Muitas foram as testemunhas que puderam ver com seus próprios olhos Jesus Cristo ressuscitado vejamos :




A Maria (ex - endemoninhada), que voltara ao sepulcro e chorava

E Maria estava chorando fora, junto ao sepulcro. Estando ela, pois, chorando, abaixou-se para o sepulcro.

E viu dois anjos vestidos de branco, assentados onde jazera o corpo de Jesus, um à cabeceira e outro aos pés.
E disseram-lhe eles: Mulher, por que choras? Ela lhes disse: Porque levaram o meu Senhor, e não sei onde o puseram.
E, tendo dito isto, voltou-se para trás, e viu Jesus em pé, mas não sabia que era Jesus.
Disse-lhe Jesus: Mulher, por que choras? Quem buscas? Ela, cuidando que era o hortelão, disse-lhe: Senhor, se tu o levaste, dize-me onde o puseste, e eu o levarei.
Disse-lhe Jesus: Maria! Ela, voltando-se, disse-lhe: Raboni, que quer dizer: Mestre.
Disse-lhe Jesus: Não me detenhas, porque ainda não subi para meu Pai, mas vai para meus irmãos, e dize-lhes que eu subo para meu Pai e vosso Pai, meu Deus e vosso Deus.
Maria Madalena foi e anunciou aos discípulos que vira o Senhor, e que ele lhe dissera isto.



Marcos 16: 9
E Jesus, tendo ressuscitado na manhã do primeiro dia da semana, apareceu primeiramente a Maria Madalena, da qual tinha expulsado sete demônios.



Durante a primeira aparição a ( Maria de Magdala, ex-endemoninhada) Cristo não permite que o toquem com as mãos .




Já na segunda aparição (a Maria (Sua mãe) e a Salomé), Cristo permite ser tocado (inclusive com as mãos) :

Mateus 28:9 E, indo elas a dar as novas aos seus discípulos, eis que Jesus lhes sai ao encontro, dizendo: Eu vos saúdo. E elas, chegando, abraçaram os seus pés, e o adoraram.


Este proceder (de não permitir, depois permitir ser tocado ) é entendido ao fulgor da tipologia do Dia da Expiação.

Vale lembrar que todos os detalhes efetivamente importantes, duma tipologia, correspondem nitidamente àquilo tipificado. Para cada sacrifício feito no pátio do Tabernáculo/Templo, no Dia da Expiação, o Sumo Sacerdote tinha que comparecer na presença de Deus, no Santo dos Santos (onde só ele podia entrar, uma só vez por ano, devidamente purificado) e lá apresentava o sangue do sacrifício, aspergia-o sobre o propiciatório (a tampa da arca), sendo aceito se tudo tivesse sido feito de acordo com o mandamento do Senhor. O Sacerdote não podia ter contato com nenhuma pessoa.



Levítico 16 versículos 15 ao 17
Depois degolará o bode, da expiação, que será pelo povo, e trará o seu sangue para dentro do véu; e fará com o seu sangue como fez com o sangue do novilho, e o espargirá sobre o propiciatório, e perante a face do propiciatório. Assim fará expiação pelo santuário por causa das imundícias dos filhos de Israel e das suas transgressões, e de todos os seus pecados; e assim fará para a tenda da congregação que reside com eles no meio das suas imundícias. E nenhum homem estará na tenda da congregação quando ele entrar para fazer expiação no santuário, até que ele saia, depois de feita expiação por si mesmo, e pela sua casa, e por toda a congregação de Israel.



O Sumo Sacerdote, entrando no Santo dos Santos, tipifica Cristo em que Ele entrou no terceiro céu, mas Cristo o fez pelo Seu próprio sangue:

Hebreus 9:11-12,
Mas, vindo Cristo, o sumo sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, isto é, não desta criação, Nem por sangue de bodes e bezerros, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário, havendo efetuado uma eterna redenção.



CONCLUSÃO: Do mesmo modo que o Sumo Sacerdote ia ao Santo dos Santos e só depois podia ser aproximado, assim também Cristo foi ao 3o céu; apresentou ao Pai o Seu sangue, aspergido sobre Si próprio; somente após isto a dívida do pecado estava oficialmente paga e aceita, e o Senhor pode ser aproximado. Cristo é nosso celestial Sumo Sacerdote, e Cordeiro-propiciação, e propiciatório, e trono de misericórdia e graça, no tabernáculo celestial.






A Maria ( Sua genetriz ) e a Salomé, que iam para os apóstolos


Mateus 28 versículos 8 ao 10


E, saindo elas pressurosamente do sepulcro, com temor e grande alegria, correram a anunciá-lo aos seus discípulos. E, indo elas a dar as novas aos seus discípulos, eis que Jesus lhes sai ao encontro, dizendo: Eu vos saúdo. E elas, chegando, abraçaram os seus pés, e o adoraram. Então Jesus disse-lhes: Não temais; ide dizer a meus irmãos que vão à Galiléia, e lá me verão.



No versículo 10 Cristo manda que avisem os apóstolos para esperá-lo na Galiléia :


Maria a progenitora com Salomé e Maria Madalena mais varias outras pessoas: manifestam a ordem de Cristo aos apóstolos :
Lucas 24:9-10 E, voltando do sepulcro, anunciaram todas estas coisas aos onze e a todos os demais . E eram Maria Madalena, e Joana, e Maria, mãe de Tiago e as outras que com elas estavam, as que diziam estas coisas aos apóstolos.




Marcos 16 versículos 9 e 10


E Jesus, tendo ressuscitado na manhã do primeiro dia da semana, apareceu primeiramente a Maria Madalena, da qual tinha expulsado sete demônios. E, partindo ela, anunciou-o àqueles que tinham estado com ele, os quais estavam tristes, e chorando.


Porem os apóstolos não crê em nas mulheres:
Marcos 16:11 E, ouvindo eles que vivia, e que tinha sido visto por ela, não o creram.
Lucas 24:11 E as suas palavras lhes pareciam como desvario, e não as creram.

Lideres religiosos subornam os guardas romanos a fabular o acontecido



Mateus 28:11-15
E, quando iam, eis que alguns da guarda, chegando à cidade, anunciaram aos príncipes dos sacerdotes todas as coisas que haviam acontecido.

E, congregados eles com os anciãos, e tomando conselho entre si, deram muito dinheiro aos soldados,
Dizendo: Dizei: Vieram de noite os seus discípulos e, dormindo nós, o furtaram.
E, se isto chegar a ser ouvido pelo presidente, nós o persuadiremos, e vos poremos em segurança.
E eles, recebendo o dinheiro, fizeram como estavam instruídos. E foi divulgado este dito entre os judeus, até ao dia de hoje.



Tal acontecimento de que eles foram subornados para dizer que o corpo tinha sido roubado pelos discípulos enquanto os guardas dormiam não seria divulgada, exceto por amedrontados, não inteligentes , ou por aqueles que tinham fortes interesses pessoais nesse boato. Como poderiam os guardas saber quem havia roubado o corpo se eles estavam dormindo? Ademas se um soldado dormisse durante a guarda poderia até ser submetido a pena de morte . "Soldados, sacerdotes e Pilatos, evidentemente creram que algo sobrenatural tinha acontecido"
Que dura, cega, rebelde a loucura dos sacerdotes, os líderes da religião oficial! Recusaram CONSCIENTEMENTE a PROVA (que privilégio eles tiveram!) da divindade de Cristo! E você , como vai sair daqui? 



Aos Discípulos a Caminho de Emaús



Emaús (grego: Ἐμμαούς, em latim: Emmaus, em hebraico: חמת Hammat, significando "riacho quente", em árabe: عِمواسImwas) foi uma cidade antiga localizada a aproximadamente 7 km ao noroeste da atual moderna Jerusalém.


Os discípulos foram Cléopas
E ele lhes disse: Que palavras são essas que, caminhando, trocais entre vós, e por que estais tristes?

E, respondendo um, cujo nome era Cléopas, disse-lhe: És tu só peregrino em Jerusalém, e não sabes as coisas que nela têm sucedido nestes dias?




E possivelmente sua esposa Maria (irmã da mãe de Jesus,), que voltava de ter assistido a crucificação dias antes, em Jerusalém (a quase 7 milhas = 2,5 horas de caminhada firme):

João 19 :25
E junto à cruz de Jesus estava sua mãe, e a irmã de sua mãe, Maria mulher de Clopas, e Maria Madalena.


E eis que no mesmo dia iam dois deles para uma aldeia, que distava de Jerusalém sessenta estádios, cujo nome era Emaús.

E iam falando entre si de tudo aquilo que havia sucedido.
E aconteceu que, indo eles falando entre si, e fazendo perguntas um ao outro, o mesmo Jesus se aproximou, e ia com eles.
Mas os olhos deles estavam como que fechados, para que o não conhecessem.
E ele lhes disse: Que palavras são essas que, caminhando, trocais entre vós, e por que estais tristes?
E, respondendo um, cujo nome era Cléopas, disse-lhe: És tu só peregrino em Jerusalém, e não sabes as coisas que nela têm sucedido nestes dias?
E ele lhes perguntou: Quais? E eles lhe disseram: As que dizem respeito a Jesus Nazareno, que foi homem profeta, poderoso em obras e palavras diante de Deus e de todo o povo;
E como os principais dos sacerdotes e os nossos príncipes o entregaram à condenação de morte, e o crucificaram.
E nós esperávamos que fosse ele o que remisse Israel; mas agora, sobre tudo isso, é já hoje o terceiro dia desde que essas coisas aconteceram.
É verdade que também algumas mulheres dentre nós nos maravilharam, as quais de madrugada foram ao sepulcro;
E, não achando o seu corpo, voltaram, dizendo que também tinham visto uma visão de anjos, que dizem que ele vive.
E alguns dos que estavam conosco foram ao sepulcro, e acharam ser assim como as mulheres haviam dito; porém, a ele não o viram.
E ele lhes disse: Ó néscios, e tardos de coração para crer tudo o que os profetas disseram!
Porventura não convinha que o Cristo padecesse estas coisas e entrasse na sua glória?
E, começando por Moisés, e por todos os profetas, explicava-lhes o que dele se achava em todas as Escrituras.
E chegaram à aldeia para onde iam, e ele fez como quem ia para mais longe.
E eles o constrangeram, dizendo: Fica conosco, porque já é tarde, e já declinou o dia. E entrou para ficar com eles.
E aconteceu que, estando com eles à mesa, tomando o pão, o abençoou e partiu-o, e lho deu.
Abriram-se-lhes então os olhos, e o conheceram, e ele desapareceu-lhes.
E disseram um para o outro: Porventura não ardia em nós o nosso coração quando, pelo caminho, nos falava, e quando nos abria as Escrituras?
E na mesma hora, levantando-se, tornaram para Jerusalém, e acharam congregados os onze, e os que estavam com eles,
Os quais diziam: Ressuscitou verdadeiramente o Senhor, e já apareceu a Simão.



E depois manifestou-se de outra forma a dois deles, que iam de caminho para o campo.

E, indo estes, anunciaram-no aos outros, mas nem ainda estes creram.


Em Lucas 24: 35 enfatiza que Cristo “fora conhecido no partir do pão”.
E bastante provável que os dois discípulos chegaram a ver as perfurações das mãos de Cristo .





E eles lhes contaram o que lhes acontecera no caminho, e como deles fora conhecido no partir do pão.

E falando eles destas coisas, o mesmo Jesus se apresentou no meio deles, e disse-lhes: Paz seja convosco.


Ao Apóstolo Pedro


Cedo na noite do domingo? Mais provavelmente, foi em paralelo com aparição na estrada de Emaús 


Lucas 24:33-34 E na mesma hora, levantando-se [Cléopas e o outro discípulo (provavelmente sua esposa), de Emaús], tornaram para Jerusalém, e acharam congregados os onze, e os que estavam com eles, 34 Os quais diziam: Ressuscitou verdadeiramente o Senhor, e já apareceu a Simão

1Corintios 15:5


E que foi visto por Cefas, e depois pelos doze.










A Dez dos Onze Apóstolos primeira vez ; Tomé ausente
Noite entre domingo da ressurreição e segunda-feira no cenáculo , em Jerusalém 


E, indo estes, anunciaram-no aos outros, mas nem ainda estes creram.
Finalmente apareceu aos onze, estando eles assentados juntamente, e lançou-lhes em rosto a sua incredulidade e dureza de coração, por não haverem crido nos que o tinham visto já ressuscitado.



E eles lhes contaram o que lhes acontecera no caminho, e como deles fora conhecido no partir do pão.

E falando eles destas coisas, o mesmo Jesus se apresentou no meio deles, e disse-lhes: Paz seja convosco.
E eles, espantados e atemorizados, pensavam que viam algum espírito.
E ele lhes disse: Por que estais perturbados, e por que sobem tais pensamentos aos vossos corações?
Vede as minhas mãos e os meus pés, que sou eu mesmo; apalpai-me e vede, pois um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que eu tenho.
E, dizendo isto, mostrou-lhes as mãos e os pés.
E, não o crendo eles ainda por causa da alegria, e estando maravilhados, disse-lhes: Tendes aqui alguma coisa que comer?
Então eles apresentaram-lhe parte de um peixe assado, e um favo de mel;
O que ele tomou, e comeu diante deles.
E disse-lhes: São estas as palavras que vos disse estando ainda convosco: Que convinha que se cumprisse tudo o que de mim estava escrito na lei de Moisés, e nos profetas e nos Salmos.
Então abriu-lhes o entendimento para compreenderem as Escrituras.



Chegada, pois, a tarde daquele dia, o primeiro da semana, e cerradas as portas onde os discípulos, com medo dos judeus, se tinham ajuntado, chegou Jesus, e pôs-se no meio, e disse-lhes: Paz seja convosco.

E, dizendo isto, mostrou-lhes as suas mãos e o lado. De sorte que os discípulos se alegraram, vendo o Senhor.
Disse-lhes, pois, Jesus outra vez: Paz seja convosco; assim como o Pai me enviou, também eu vos envio a vós.
E, havendo dito isto, assoprou sobre eles e disse-lhes: Recebei o Espírito Santo.
«queles a quem perdoardes os pecados lhes são perdoados; e àqueles a quem os retiverdes lhes são retidos.


Tomé não crê:



Ora, Tomé, um dos doze, chamado Dídimo, não estava com eles quando veio Jesus.

Disseram-lhe, pois, os outros discípulos: Vimos o Senhor. Mas ele disse-lhes: Se eu não vir o sinal dos cravos em suas mãos, e não puser o meu dedo no lugar dos cravos, e não puser a minha mão no seu lado, de maneira nenhuma o crerei.



Aos Onze dos Apóstolos Segunda vez já com Tomé Presente

Na noite do domingo , uma semana posteriormente a ressurreição



E oito dias depois estavam outra vez os seus discípulos dentro, e com eles Tomé. Chegou Jesus, estando as portas fechadas, e apresentou-se no meio, e disse: Paz seja convosco.

Depois disse a Tomé: Põe aqui o teu dedo, e vê as minhas mãos; e chega a tua mão, e põe-na no meu lado; e não sejas incrédulo, mas crente.
E Tomé respondeu, e disse-lhe: Senhor meu, e Deus meu!
Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram.









Aos Onze Apóstolos e Outros Discípulos , muitas vezes. Com muitos Sinais e também milagres Inumeráveis 

Provavelmente entre os dias entre o 8 e 39 posteriormente a ressurreição




Jesus, pois, operou também em presença de seus discípulos muitos outros sinais, que não estão escritos neste livro.
Estes, porém, foram escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome.


Este é o discípulo que testifica destas coisas e as escreveu; e sabemos que o seu testemunho é verdadeiro.

Há, porém, ainda muitas outras coisas que Jesus fez; e se cada uma das quais fosse escrita, cuido que nem ainda o mundo todo poderia conter os livros que se escrevessem. Amém.




A Sete dos Apóstolos Terceira vez , junto ao Mar da Galiléia

Ao alvorecer em alguma manhã entre os dias 9 a 39 posteriormente a ressurreição

Jesus come pão e peixe assado com os discípulos ,comparte com eles a prática da palavra em especial com o apóstolo Pedro .
Mar da Galileia, também conhecido como mar de Tiberíades ou lago de Genesaré (em hebraico: יָם כִּנֶּרֶת; em árabe: بحيرة طبريا) é um extenso lago de água doce localizado no Distrito Norte de Israel. É o maior lago do país e tem comprimento máximo de cerca de 19 quilômetros e largura máxima de cerca de 13 km, sendo que sua área total abrange 166,7 km². Na moderna língua hebraica é conhecido por Loudspeaker.svg? Yam Kinneret. O seu afluente principal é o rio Jordão, que vem do monte Hérmon e de Cesareia de Filipe, e que é também o seu efluente, seguindo depois para o mar Morto.


O mar da Galileia fica a 213 metros abaixo do nível do mar Mediterrâneo e é considerado um mar isolado por não ter nenhuma ligação com outros mares ou oceanos. Nos tempos do Novo Testamento, ficavam nas suas costas a cidade de Tiberíades — fundada por Herodes Antipas ao tempo da infância de Jesus —, Cafarnaum, Betsaida e Genesaré, entre outras. Hoje Tiberíades é a localidade principal nas margens do lago. A nordeste deste lago ficam os montes Golã.


Depois disto manifestou-se Jesus outra vez aos discípulos junto do mar de Tiberíades; e manifestou-se assim:

Estavam juntos Simão Pedro, e Tomé, chamado Dídimo, e Natanael, que era de Caná da Galiléia, os filhos de Zebedeu, e outros dois dos seus discípulos.
Disse-lhes Simão Pedro: Vou pescar. Dizem-lhe eles: Também nós vamos contigo. Foram, e subiram logo para o barco, e naquela noite nada apanharam.
E, sendo já manhã, Jesus se apresentou na praia, mas os discípulos não conheceram que era Jesus.
Disse-lhes, pois, Jesus: Filhos, tendes alguma coisa de comer? Responderam-lhe: Não.
E ele lhes disse: Lançai a rede para o lado direito do barco, e achareis. Lançaram-na, pois, e já não a podiam tirar, pela multidão dos peixes.
Então aquele discípulo, a quem Jesus amava, disse a Pedro: É o Senhor. E, quando Simão Pedro ouviu que era o Senhor, cingiu-se com a túnica (porque estava nu) e lançou-se ao mar.
E os outros discípulos foram com o barco (porque não estavam distantes da terra senão quase duzentos côvados), levando a rede cheia de peixes.
Logo que desceram para terra, viram ali brasas, e um peixe posto em cima, e pão.
Disse-lhes Jesus: Trazei dos peixes que agora apanhastes.
Simão Pedro subiu e puxou a rede para terra, cheia de cento e cinqüenta e três grandes peixes e, sendo tantos, não se rompeu a rede.
Disse-lhes Jesus: Vinde, comei. E nenhum dos discípulos ousava perguntar-lhe: Quem és tu? sabendo que era o Senhor.
Chegou, pois, Jesus, e tomou o pão, e deu-lhes e, semelhantemente o peixe.
E já era a terceira vez que Jesus se manifestava aos seus discípulos, depois de ter ressuscitado dentre os mortos.
E, depois de terem jantado, disse Jesus a Simão Pedro: Simão, filho de Jonas, amas-me mais do que estes? E ele respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta os meus cordeiros.
Tornou a dizer-lhe segunda vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Disse-lhe: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas.
Disse-lhe terceira vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Simão entristeceu-se por lhe ter dito terceira vez: Amas-me? E disse-lhe: Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo. Jesus disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas.
Na verdade, na verdade te digo que, quando eras mais moço, te cingias a ti mesmo, e andavas por onde querias; mas, quando já fores velho, estenderás as tuas mãos, e outro te cingirá, e te levará para onde tu não queiras.
E disse isto, significando com que morte havia ele de glorificar a Deus. E, dito isto, disse-lhe: Segue-me.
E Pedro, voltando-se, viu que o seguia aquele discípulo a quem Jesus amava, e que na ceia se recostara também sobre o seu peito, e que dissera: Senhor, quem é que te há de trair?
Vendo Pedro a este, disse a Jesus: Senhor, e deste que será?
Disse-lhe Jesus: Se eu quero que ele fique até que eu venha, que te importa a ti? Segue-me tu.
Divulgou-se, pois, entre os irmãos este dito, que aquele discípulo não havia de morrer. Jesus, porém, não lhe disse que não morreria, mas: Se eu quero que ele fique até que eu venha, que te importa a ti?
Este é o discípulo que testifica destas coisas e as escreveu; e sabemos que o seu testemunho é verdadeiro.
Há, porém, ainda muitas outras coisas que Jesus fez; e se cada uma das quais fosse escrita, cuido que nem ainda o mundo todo poderia conter os livros que se escrevessem. Amém.



A Mais de Quinhentos Irmãos

Algum dia entre o 9 o 39 posteriormente a ressurreição. Local não especificado, provavelmente Jerusalém 




Também vos notifico, irmãos, o evangelho que já vos tenho anunciado; o qual também recebestes, e no qual também permaneceis.
Pelo qual também sois salvos se o retiverdes tal como vo-lo tenho anunciado; se não é que crestes em vão.
Porque primeiramente vos entreguei o que também recebi: que Cristo morreu por nossos pecados, segundo as Escrituras,
E que foi sepultado, e que ressuscitou ao terceiro dia, segundo as Escrituras.
E que foi visto por Cefas, e depois pelos doze.
Depois foi visto, uma vez, por mais de quinhentos irmãos, dos quais vive ainda a maior parte, mas alguns já dormem também.
Depois foi visto por Tiago, depois por todos os apóstolos.
E por derradeiro de todos me apareceu também a mim, como a um abortivo.




A Tiago , um Meio Irmão de Cristo



Provavelmente entre o 9 e 39 posteriormente a ressurreição. Local não especificado, provavelmente Jerusalém 

1Corintios 15:7  Depois foi visto por Tiago, depois por todos os apóstolos.

A conversão dos irmãos de Jesus possivelmente foi nesse período . (Antes, eram descrentes e dificultosos com Jesus !



E depois disto Jesus andava pela Galiléia, e já não queria andar pela Judéia, pois os judeus procuravam matá-lo.
E estava próxima a festa dos judeus, a dos tabernáculos.
Disseram-lhe, pois, seus irmãos: Sai daqui, e vai para a Judéia, para que também os teus discípulos vejam as obras que fazes.
Porque não há ninguém que procure ser conhecido que faça coisa alguma em oculto. Se fazes estas coisas, manifesta-te ao mundo.
Porque nem mesmo seus irmãos criam nele.






Exclusivamente aos Apóstolos Quarta vez na Primeira Grande Comissão


A Grande Comissão, na tradição cristã, é a instrução dada pelo Jesus ressuscitado aos seus discípulos para que eles espalhassem seus ensinamentos para todas as nações do mundo. Ela se tornou um ponto chave da teologia cristã sobre o trabalho missionário, o evangelismo e o batismo. 


Próximo ao 40º dia posterior a ressurreição. No Monte Tabor , Galiléia.
Monte Tabor é uma alta colina da Galileia, na secção leste do vale de Jizreel, 17 km a oeste do Mar da Galileia, como o topo à cota de 575 metros acima do nível do mar.

É também conhecido como "Har Tavor", "Itabyrium", "Jebel et-Tur" ou "Monte da Transfiguração"




E os onze discípulos partiram para a Galiléia, para o monte que Jesus lhes tinha designado.
E, quando o viram, o adoraram; mas alguns duvidaram.
E, chegando-se Jesus, falou-lhes, dizendo: É-me dado todo o poder no céu e na terra.
Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo;
Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.






Aos apóstolos Quinta vez , no Cenáculo, a Segunda Grande Comissão 


40º dia posterior a ressurreição. No cenáculo, em Jerusalém, depois no Monte das Oliveiras 
O Cenáculo (do latim Cenaculum) é o termo usado para o sítio ou local onde ocorreu, a Última Ceia e onde atualmente se encontra um grande templo. A palavra é um derivado da palavra latina cena, que significa "jantar".


Finalmente apareceu aos onze, estando eles assentados juntamente, e lançou-lhes em rosto a sua incredulidade e dureza de coração, por não haverem crido nos que o tinham visto já ressuscitado.

E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura.
Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado.
E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas;
Pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão.
Ora, o Senhor, depois de lhes ter falado, foi recebido no céu, e assentou-se à direita de Deus.
E eles, tendo partido, pregaram por todas as partes, cooperando com eles o Senhor, e confirmando a palavra com os sinais que se seguiram. Amém.




E disse-lhes: Assim está escrito, e assim convinha que o Cristo padecesse, e ao terceiro dia ressuscitasse dentre os mortos,
E em seu nome se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados, em todas as nações, começando por Jerusalém.
E destas coisas sois vós testemunhas.
E eis que sobre vós envio a promessa de meu Pai; ficai, porém, na cidade de Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de poder.
E levou-os fora, até Betânia; e, levantando as suas mãos, os abençoou.
E aconteceu que, abençoando-os ele, se apartou deles e foi elevado ao céu.
E, adorando-o eles, tornaram com grande júbilo para Jerusalém.
E estavam sempre no templo, louvando e bendizendo a Deus. Amém.




No Monte das Oliveiras

O Monte das Oliveiras (em hebraico: הר הזיתים, transl. Har HaZeitim; em árabe: جبل الزيتون, transl. Djebel az-Zeitun) é um monte situado a leste da Cidade Antiga de Jerusalém, em Israel, pertencente a uma cadeia de colinas com três picos, dispostos de norte a sul, dos quais o mais alto, at-Tur, se eleva a 818 metros.

A altura do Monte das Oliveiras e as vistas espetaculares que ele apresenta para a Cidade Antiga de Jerusalém e para o Monte do Templo fizeram com que alguns dos mapas e ilustrações mais realistas da região na Antiguidade fossem feitos dos seus cumes. No Monte das Oliveiras está situado o jardim do Getsêmani.




E, estando com eles, determinou-lhes que não se ausentassem de Jerusalém, mas que esperassem a promessa do Pai, que, disse ele, de mim ouvistes.
Porque, na verdade, João batizou com água, mas vós sereis batizados com o Espírito Santo, não muito depois destes dias.
Aqueles, pois, que se haviam reunido perguntaram-lhe, dizendo: Senhor, restaurarás tu neste tempo o reino a Israel?
E disse-lhes: Não vos pertence saber os tempos ou as estações que o Pai estabeleceu pelo seu próprio poder.
Mas recebereis a virtude do Espírito Santo, que há de vir sobre vós; e ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra.
E, quando dizia isto, vendo-o eles, foi elevado às alturas, e uma nuvem o recebeu, ocultando-o a seus olhos.
E, estando com os olhos fitos no céu, enquanto ele subia, eis que junto deles se puseram dois homens vestidos de branco.
Os quais lhes disseram: Homens galileus, por que estais olhando para o céu? Esse Jesus, que dentre vós foi recebido em cima no céu, há de vir assim como para o céu o vistes ir.
Então voltaram para Jerusalém, do monte chamado das Oliveiras, o qual está perto de Jerusalém, à distância do caminho de um sábado.



A Estevão, no Seu Apedrejamento

Mas ele, estando cheio do Espírito Santo, fixando os olhos no céu, viu a glória de Deus, e Jesus, que estava à direita de Deus;
E disse: Eis que vejo os céus abertos, e o Filho do homem, que está em pé à mão direita de Deus.
Mas eles gritaram com grande voz, taparam os seus ouvidos, e arremeteram unânimes contra ele.
E, expulsando-o da cidade, o apedrejavam. E as testemunhas depuseram as suas capas aos pés de um jovem chamado Saulo.
E apedrejaram a Estêvão que em invocação dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito.
E, pondo-se de joelhos, clamou com grande voz: Senhor, não lhes imputes este pecado. E, tendo dito isto, adormeceu.



Estêvão é lembrado como o primeiro de muitos mártires no reino de Jesus Cristo. Ele entrou na história em Atos 6 e foi apedrejado no capítulo seguinte. O nome dele aparece apenas 10 vezes, todas no livro de Atos. Embora o tempo dele no palco da história tenha sido pouco, a importância da vida desse servo não deve ser subestimada. Ele mostrou características essenciais de um discípulo verdadeiro do Senhor.
A história de Estêvão aparece em Atos 6 e Atos 7, livros do Novo Testamento da Bíblia cristã. Consta que houve resmungos da parte dos "judeus que falavam grego" ("hellēnistōn") contra os "judeus que falavam hebraico" ("hebraious") porque suas viúvas estavam sendo preteridas na distribuição (diakoniāi) diária de alimentos (Atos 6:1). Os apóstolos convocaram então os discípulos e propuseram que fosse formada uma comissão de "sete homens acreditados (martyroumenous), cheios de espírito e de sabedoria" (Atos 6:3), que se incumbiriam da distribuição. Estêvão, "homem cheio de fé e Espírito Santo" (Atos 6:5), estava entre esses, todos usando nomes gregos, que foram postos diante dos apóstolos e, após terem orado, receberam a imposição das mãos.



Estêvão foi um dos sete primeiros diáconos da igreja , logo após a morte e Ressurreição de Jesus, pregando os ensinamentos de Cristo e convertendo tanto judeus como gentios.




Apóstolo Paulo , na Sua Conversão





E Saulo, respirando ainda ameaças e mortes contra os discípulos do Senhor, dirigiu-se ao sumo sacerdote.
E pediu-lhe cartas para Damasco, para as sinagogas, a fim de que, se encontrasse alguns deste Caminho, quer homens quer mulheres, os conduzisse presos a Jerusalém.
E, indo no caminho, aconteceu que, chegando perto de Damasco, subitamente o cercou um resplendor de luz do céu.
E, caindo em terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues?
E ele disse: Quem és, Senhor? E disse o Senhor: Eu sou Jesus, a quem tu persegues. Duro é para ti recalcitrar contra os aguilhões.
E ele, tremendo e atônito, disse: Senhor, que queres que eu faça? E disse-lhe o Senhor: Levanta-te, e entra na cidade, e lá te será dito o que te convém fazer.
E os homens, que iam com ele, pararam espantados, ouvindo a voz, mas não vendo ninguém.
E Saulo levantou-se da terra, e, abrindo os olhos, não via a ninguém. E, guiando-o pela mão, o conduziram a Damasco.



Sobre o que, indo então a Damasco, com poder e comissão dos principais dos sacerdotes,

Ao meio-dia, ó rei, vi no caminho uma luz do céu, que excedia o esplendor do sol, cuja claridade me envolveu a mim e aos que iam comigo.
E, caindo nós todos por terra, ouvi uma voz que me falava, e em língua hebraica dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues? Dura coisa te é recalcitrar contra os aguilhões.
E disse eu: Quem és, Senhor? E ele respondeu: Eu sou Jesus, a quem tu persegues;
Mas levanta-te e põe-te sobre teus pés, porque te apareci por isto, para te pôr por ministro e testemunha tanto das coisas que tens visto como daquelas pelas quais te aparecerei ainda;
Livrando-te deste povo, e dos gentios, a quem agora te envio,
Para lhes abrires os olhos, e das trevas os converteres à luz, e do poder de Satanás a Deus; a fim de que recebam a remissão de pecados, e herança entre os que são santificados pela fé em mim.
Por isso, ó rei Agripa, não fui desobediente à visão celestial.





Apóstolo Paulo (5 - 67) foi um apóstolo de Cristo, um dos principais divulgadores da doutrina cristã. É o autor das Epístolas Paulinas, reunidas no Novo Testamento.
Apóstolo Paulo nasceu em Tarso, na Cilícia, atual Turquia, provavelmente no ano 5 da Era Cristã. Filho de judeus, que gozavam dos privilégios da cidadania romana, recebeu dois nomes: Saulo – hebreu e Paulo – romano. O pai de Paulo era participante da seita dos fariseus, uma das mais ortodoxas seitas judaicas.

Ainda jovem foi para Jerusalém e, na escola de Gamaliel, se especializou no conhecimento da sua religião “Lei Oral”, deduzida da Lei de Moisés, transmitida verbalmente de uma geração para outra e que regulava a vida cotidiana dos fariseus. . Tornou-se fariseu, ou seja, especialista rigoroso e irrepreensível no cumprimento de toda a Lei e seus pormenores.



De volta a Tarso, Paulo continuou os estudos para seguir a carreira de rabino, alternando com o trabalho de fazer tendas, juntamente com seu pai . Logo apos o ano 26, com os grandes eventos do cristianismo, como o anúncio do Evangelho, a morte e a ressurreição de Cristo, as ideias cristãs se propagaram rapidamente, conquistando os judeus e os próprios romanos.

Para apoiar o judaísmo, ameaçado pela nova fé , Paulo viaja ate Jerusalém para , perseguir os fiéis da nova religião, entrando nas casas, arrastando homens e mulheres e entregando-os à prisão. Porem próximo à cidade de Damasco, Paulo vê uma grande luz e ouve uma voz: “Saulo, Saulo, por que me persegues?” Saulo cai no chão e permanece cego até ser batizado por Ananias, a mando do Senhor.
A partir de então, Paulo se converte ao cristianismo. Passa algum tempo recolhido ao deserto da Arábia, para reconstruir seus pensamentos.

A conversão de Paulo mudou radicalmente o curso de sua vida. Com suas atividades missionárias e obras, Paulo acabou transformando as crenças religiosas e a filosofia de toda a região da bacia do Mediterrâneo. Sua liderança, influência e legado levaram à formação de comunidades dominadas por grupos gentios que adoravam o Deus de Israel, aderiam ao código moral judaico, mas que abandonaram o ritual e as obrigações alimentares da Lei Mosaica por causa dos ensinamentos de Paulo sobre a vida e obra de Jesus e seu "Novo Testamento", fundamentados na morte de Jesus e na sua ressurreição.


Entao a rigorosa lei judaica cede lugar à ideia da salvação através do sacamento. Paulo volta a Damasco e prega também aos judeus.
Os fariseus preparam uma cilada para matá-lo. De volta a Tarso, encontra fechadas as portas da sinagoga.
O Apóstolo Paulo empreende longas peregrinações levando a fé cristã, fundando igrejas e se dedica a escrever suas Epístolas. Em 64, após o grande incêndio que ocorreu em Roma, no reinado de Nero, a culpa caiu sobre os cristãos. Paulo, que havia voltado para Roma, para dar assistência aos cristãos martirizados, foi preso e decapitado, fora dos limites da cidade de Roma.





A Paulo, em Corinto




E disse o Senhor em visão a Paulo: Não temas, mas fala, e não te cales;
Porque eu sou contigo, e ninguém lançará mão de ti para te fazer mal, pois tenho muito povo nesta cidade.





A Paulo, no Templo







E aconteceu que, tornando eu para Jerusalém, quando orava no templo, fui arrebatado para fora de mim.

E vi aquele que me dizia: Dá-te pressa e sai apressadamente de Jerusalém; porque não receberão o teu testemunho acerca de mim.
E eu disse: Senhor, eles bem sabem que eu lançava na prisão e açoitava nas sinagogas os que criam em ti.
E quando o sangue de Estêvão, tua testemunha, se derramava, também eu estava presente, e consentia na sua morte, e guardava as capas dos que o matavam.
E disse-me: Vai, porque hei de enviar-te aos gentios de longe.





A Paulo, em Jerusalém





E originou-se um grande clamor; e, levantando-se os escribas da parte dos fariseus, contendiam, dizendo: Nenhum mal achamos neste homem, e, se algum espírito ou anjo lhe falou, não lutemos contra Deus.

E, havendo grande dissensão, o tribuno, temendo que Paulo fosse despedaçado por eles, mandou descer a soldadesca, para que o tirassem do meio deles, e o levassem para a fortaleza.
E na noite seguinte, apresentando-se-lhe o Senhor, disse: Paulo, tem ânimo; porque, como de mim testificaste em Jerusalém, assim importa que testifiques também em Roma.






A Paulo, em Outra Visão

Em verdade que não convém gloriar-me; mas passarei às visões e revelações do Senhor.
Conheço um homem em Cristo que há catorze anos (se no corpo, não sei, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe) foi arrebatado ao terceiro céu.
E sei que o tal homem (se no corpo, se fora do corpo, não sei; Deus o sabe)
Foi arrebatado ao paraíso; e ouviu palavras inefáveis, que ao homem não é lícito falar.
De alguém assim me gloriarei eu, mas de mim mesmo não me gloriarei, senão nas minhas fraquezas.



A João, em Patmos, Várias Visões no Apocalipse



Apostolo João foi um dos doze apóstolos de Cristo. O mais jovem deles. Junto com seu irmão Tiago, foi convidado a seguir Jesus em suas peregrinações. É o autor do quarto e último Evangelho Canônico, pertencente ao Novo Testamento, o "Evangelho segundo João". Escreveu a primeira, a segunda e a terceira Epístola de João. Foi o "discípulo amado" de Jesus. Foi o único apóstolo que acompanhou Cristo até a sua morte. O Evangelho de João menciona que antes de Jesus morrer, confiou Maria aos seus cuidados. Arqueólogos encontraram no Egito, fragmentos de um papiro, em grego, que pertence ao Evangelho de João. A maior parte do Evangelho relata a vida de Jesus até a sua morte.
São João Evangelista (6-103) nasceu em Betsaida na Galileia. Filho do pescador Zebedeu e de Maria Salomé, uma das mulheres que auxiliaram os discípulos de Jesus . João e seu irmão mais velho Tiago, foram convidados a seguir Jesus, logo depois dos apóstolos Pedro e André.
João, Tiago, Pedro e André, foram os quatro privilegiados que participaram do círculo mais íntimo de Jesus. Presenciaram a ressurreição da filha de Jairo e a angústia de Jesus no Jardim das Oliveiras. João e Tiago foram os únicos apóstolos que receberam de Cristo a autorização para sentar à direita e o outro à esquerda durante a última Ceia.

Segundo escritores do século I, João se mudou para Éfeso, para fugir da Guerra Judaica (66-70 d.C) e suas consequências. No continente asiático prosseguiu com seu oficio ministerial. De acordo com a tradição (que é confiável), João escreveu seu evangelho nessa cidade por volta de 85 d.C (também as epístolas I,II e III todas em 90 d.C), lugar onde desempenhou seu ministério e gerou discípulos importantes a igreja do Senhor Jesus. Policarpo, Papias e Inácio foram discípulos diretos de João. Os três continuaram a proteger a Noiva de Cristo das heresias na Ásia Menor. Policarpo se tornou posteriormente o bispo da igreja de Esmirna.

Conforme testemunhos, os presbíteros da Ásia Menor em especial os de Éfeso, sugeriram para que João escrevesse um evangelho a partir de suas observações e sentimentos vividos na companhia do Mestre. Esses relatos também seriam uma ferramenta forte para combater os gnósticos.

João foi um grande apologista, combatendo os gnósticos, tanto no seu evangelho como nas epístolas universais. Ele defendeu que o Pai e o filho, eram um só Deus, contradizendo os gnósticos, que diziam que Jesus e o Pai eram dois deuses diferentes.

Quando João usa as expressões e o verbo se fez carne e habitou entre nós ( Jo. 1.14), e a todo espirito que não confessa que Jesus Cristo veio em carne não é de Deus (1 Jo. 4.3), ele estava defendendo a igreja da seita gnóstica que alegava que Jesus era uma espécie de sombra do Pai, negando a encarnação do Verbo (Cristo).

No terceiro século depois de Cristo, o evangelho narrado pelo discípulo amado, era considerado pelos Pais da igreja como o mais espiritual do que os sinóticos (Mateus, Marcos, Lucas), devido a sua singularidade e observações distintas.

O primeiro relato que identificava o autor do Evangelho de João, como sendo João filho de Zebedeu, foi realizado por Irineu (180 d.C) – Depois João, o discípulo do Senhor, o mesmo que repousou sobre o seu peito, publicou também o evangelho, durante sua estada em Éfeso.

A morte natural (velhice) do apóstolo do amor estava vinculada a uma promessa pronunciada pelo próprio Senhor Jesus - Divulgou-se, pois, entre os irmãos este dito, que aquele discípulo não havia de morrer. Jesus, porém, não lhe disse que não morreria, mas: Se eu quero que ele fique até que eu venha, que te importa a ti? (João. 21.23). O Salvador havia prometido que ele não morreria de forma cruel como os demais. Por isso quando o jogaram num tacho de azeite fervendo, nada aconteceu. Foi como cair em água fria, porque já havia uma profecia decretada que o mesmo não morreria como os outros apóstolos. Após esse episódio do azeite, ele foi conduzido como prisioneiro à ilha de Patmos (ilha de rocha vulcânica. Os romanos enviavam para lá os criminosos e transgressores políticos).


Patmos era uma ilha rochosa, ausente de vegetação e pequena. Foi nessa localidade que João, fora dirigido como prisioneiro do Império Romano. A ilha distanciava uns 90 km de Éfeso a capital do ministério do apóstolo. Sentenciado a trabalho penoso nas pedreiras (pedras que eram usadas na construção das estradas romanas). Trabalhava arduamente o dia todo e a noite seu espirito era arrebatado para receber e escrever as revelações - Eu fui arrebatado no Espírito no dia do Senhor, e ouvi detrás de mim uma grande voz, como de trombeta, Que dizia: Eu sou o Alfa e o Ômega, o primeiro e o derradeiro; e o que vês, escreve-o num livro, e envia-o às sete igrejas que estão na Ásia: a Éfeso, e a Esmirna, e a Pérgamo, e a Tiatira, e a Sardes, e a Filadélfia, e a Laodicéia ( Ap. 1. 10,11).

O amado discípulo de Jesus foi para Patmos, por causa de uma política do imperador Domiciano (81-96 d.C), que confiscou os bens dos Cristãos e logo em seguida os prendiam. João fazia parte daquela realidade de perseguição. Por ordem do imperador, acabou indo para a ilha.







Revelação de Jesus Cristo, a qual Deus lhe deu, para mostrar aos seus servos as coisas que brevemente devem acontecer; e pelo seu anjo as enviou, e as notificou a João seu servo;

O qual testificou da palavra de Deus, e do testemunho de Jesus Cristo, e de tudo o que tem visto.
Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo.
João, às sete igrejas que estão na Ásia: Graça e paz seja convosco da parte daquele que é, e que era, e que há de vir, e da dos sete espíritos que estão diante do seu trono;
E da parte de Jesus Cristo, que é a fiel testemunha, o primogênito dentre os mortos e o príncipe dos reis da terra. Àquele que nos amou, e em seu sangue nos lavou dos nossos pecados,
E nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai; a ele glória e poder para todo o sempre. Amém.
Eis que vem com as nuvens, e todo o olho o verá, até os mesmos que o traspassaram; e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Sim. Amém.
Eu sou o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim, diz o Senhor, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso.
Eu, João, que também sou vosso irmão, e companheiro na aflição, e no reino, e paciência de Jesus Cristo, estava na ilha chamada Patmos, por causa da palavra de Deus, e pelo testemunho de Jesus Cristo.
Eu fui arrebatado no Espírito no dia do Senhor, e ouvi detrás de mim uma grande voz, como de trombeta,
Que dizia: Eu sou o Alfa e o Ômega, o primeiro e o derradeiro; e o que vês, escreve-o num livro, e envia-o às sete igrejas que estão na Ásia: a Éfeso, e a Esmirna, e a Pérgamo, e a Tiatira, e a Sardes, e a Filadélfia, e a Laodicéia.
E virei-me para ver quem falava comigo. E, virando-me, vi sete castiçais de ouro;
E no meio dos sete castiçais um semelhante ao Filho do homem, vestido até aos pés de uma roupa comprida, e cingido pelos peitos com um cinto de ouro.
E a sua cabeça e cabelos eram brancos como lã branca, como a neve, e os seus olhos como chama de fogo;
E os seus pés, semelhantes a latão reluzente, como se tivessem sido refinados numa fornalha, e a sua voz como a voz de muitas águas.
E ele tinha na sua destra sete estrelas; e da sua boca saía uma aguda espada de dois fios; e o seu rosto era como o sol, quando na sua força resplandece.
E eu, quando o vi, caí a seus pés como morto; e ele pôs sobre mim a sua destra, dizendo-me: Não temas; Eu sou o primeiro e o último;
E o que vivo e fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém. E tenho as chaves da morte e do inferno.
Escreve as coisas que tens visto, e as que são, e as que depois destas hão de acontecer;
O mistério das sete estrelas, que viste na minha destra, e dos sete castiçais de ouro. As sete estrelas são os anjos das sete igrejas, e os sete castiçais, que viste, são as sete igrejas.









2 comentários:

  1. Olá.

    Convido a participar do novo Agregador Blogospel, onde reunimos blogs evangélicos, com os melhores conteúdos gospel e relevantes para o povo de Deus.
    Acesse e conheça: http://semeandojesuscristo.blogspot.com.br
    Sua parceria é muito importante.
    Graça e paz!

    ResponderExcluir
  2. Olá.

    Convido a participar do novo Agregador Blogospel, onde reunimos blogs evangélicos, com os melhores conteúdos gospel e relevantes para o povo de Deus.
    Acesse e conheça: http://semeandojesuscristo.blogspot.com.br
    Sua parceria é muito importante.
    Graça e paz!

    ResponderExcluir

Quem sou eu

Minha foto
Evangélico Pentecostal, Sola Scriptura, Sola Christus, Sola Gratia, Sola Fide, Soli Deo Gloria